Gilda, recitado pelo autor, Antonio Thadeu Wojciechowski

 

Gilda

Lembra da Gilda,
curitibano dos trezentos anos?
Não a mulher fatal do cinema,
a Gilda de Curitiba.
Esses dias passei na Rua das Flores:
Cadê a placa póstuma da Gilda
ao pé da árvore
na frente do bondinho?
Para quem não é daqui:
Gilda foi um mendigo, louco e bicha.
Já viu combinação mais infeliz?
Daqueles loucos que havia,
estavam sempre na rua,
como se vivessem do vento.
Gilda foi o último louco
folclórico de Curitiba.
Sua residência oficial
era a Rua das Flores,
o cartão postal da cidade.
Para uns incômodo, vergonha.
Para outros, motivo de galhofa.
Por muito tempo foi o louquinho
que a família curitibana
não trancou no porão.
Um dia apareceu morto,
provável, numa briga de mendigos.
E pergunto:
Por que não Rua Gilda?
ou Alameda Gilda?
ao menos Travessa Gilda?
Ou os loucos folclóricos
não são história?
Que memória é esta
que preserva generais sem guerra,
corruptos de bitola larga,
aristocratas inatingíveis,
enganadores do povo diplomados
e se esquece da Gilda.
Tá certo: louco, mendigo e bicha.
Mas se lhe falta título
por que não:
filósofo do cotidiano,
humorista performático,
vanguardista dos costumes?
Se lembraram de tantos
que nem mereciam.
Por que não da Gilda?
Cala-se Curitiba,
classe média em tudo.
Tua memória será
a do pinheiro tombado,
a da gralha que já não voa,
mas não da Gilda.

Da iluminação

Um grupo de curiosos perguntou ao sufi Uwais:

“Como um mestre como o senhor conseguiu a iluminação?”

“A cada manhã, digo para mim mesmo: ‘não sei se chegarei vivo à noite’. Então tenho alegria para viver cada dia”

Os discípulos riram.

“Não é uma resposta”, disseram. “Todos sabem disso!”

“Sim, todos sabem”, confirmou Uwais. “Mas ninguém aceita. Pois dão ouvidos aos comentários dos outros, procuram a segurança que não existe, têm medo do que vai acontecer amanhã”.

Os discípulos ficaram calados.

“Quem vive o dia de hoje com medo do amanhã, não vive nem o hoje, e nem o amanhã”, terminou Uwais. “Mas quem se entrega ao presente, vê a Eternidade em cada segundo”.

Postado por Paulo Coelho em 23 de fevereiro de 2009 às 00:27

27 aberrações que não de deve fazer num motel

enviado por Pedro Edu
 

Deixe sua noite de prazer muito mais excitante com as nossas sugestões completamente despirocadas

clip_image002

27 Girar 180 graus na cadeira erótica, berrando: "Ziiim, zóiiim!

26 Bater na porta da suíte ao lado e perguntar se foi ali que pediram um bacalhau.

25 Repetir a operação do item anterior nas outras 117 suítes.

24 Chamar uma garçonete e atender à porta pelado.

23 Levar um grupo de amigos e sair vendendo tupperware pelos quartos.

22 Botar o carro na frente do quarto, levar uma mangueira e lavá-lo.

21 Na entrada do motel, perguntar ao porteiro se ele viu a sua esposa entrando ali com outro.

20 Levar um megafone e gritar da sua janela: "Rosinéia, sua cachorra ordinária, eu sei que você tá aqui, lazarenta!!!"

19 Levar seu cão dinamarquês, ligar para a recepção e pedir água, camisinhas e ração Bonzo.

18 Ficar de pé na portaria do motel dando "oi" para os carros que entram.

17 Abrir as portas do carro dentro da vaga e ligar o som no talo numa música de Bruno e Marrone.

16 Antes de chegar à recepção, baixar as calças, encaixar o RG no meio das nádegas e entregá-lo à mocinha falando: "Boa-noite, sou um boneco de neve e queria uma suíte com ar condicionado bem geladinho".

15 Dizer que é voyeur e pedir um quarto com vista para o quarto dos outros.

14 Ir desacompanhado e perguntar se a recepcionista não quebraria o seu galho.

13 Ir com a família inteira até a porta do motel e indagar ao vigia quanto custa o aluguel e condomínio das casas.

12 Perguntar ao segurança do motel se ele, por acaso, é michê.

11 Interfonar para a cozinha pedindo um peru e dois ovos.

10 Ir a pé.

09 Dizer ao atendente, na portaria, que está com um cadáver no porta-malas e que precisa de ajuda para colocá-lo na cama.

08 Tirar todos os produtos do frigobar e colocá-los dentro da sauna ligada pra ver o que acontece.

07 Ligar para a recepção pedindo uma bomba de encher pneu porque sua boneca inflável está vazando.

06 Antes de sair do quarto, deixar um despacho completo, incluindo galinha preta, charuto e cachaça, ao lado do cama.

05 Descolar tinta preta, pincel, brocha e promover uma pintura estilo dark na suíte.

04 Espalhar gel transparente em todo o quarto: lençóis, tela da tevê, frigobar, toalhas, abajures, tapetes, espelhos e paredes.

03 Levar um filhote de patinho e, ao ir embora, deixá-lo nadando na piscina.

02 Promover um apagão no motel inteiro jogando o secador ligado na Jacuzzi.

01 Pagar com tíquete-refeição.

Por Ulião
Ilustração Ulião

Namore um barrigudinho!

Palavras de uma psicóloga experiente

        Tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute!
    Na próxima vez que encontrá-lo, tente disfarçadamente descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo `tanquinho´, fuja! Comece a correr agora. E só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim. Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chope.
Se não, não presta.
    Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto.
    E eu digo porque você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma e provavelmente será engraçado mesmo. Já os `tanquinhos´ farão isso
esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores – e eu tenho dó das que caem.
    Quando se sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja. Ou coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com `clight´ que trouxe de casa. E você não será informada sobre quantas calorias tem um copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação.    E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar. Você nunca irá ouvir um ‘Ah, amor, "Quarteirão" é gostoso, mas você podia provar uma "McSalad" com água de coco’. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo
dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará um relacionamento.
    Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga.Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.
    Outra coisa fundamental: homens barrigudinhos são confortáveis! Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar sobre ela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível! Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional. Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam
a conversar, a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar.
    É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

CARLA MOURA
PSICÓLOGA, ESPECIALISTA EM SEXOLOGIA E TERAPIA DE CASAIS